Colégio católicos

A experiência educacional, por meio de escolas e universidades, é uma herança – sempre atual – da Igreja Católica. Talvez hoje, por um processo intenso de secularização que a sociedade ocidental vive, esse dado esteja esquecido por grande parte das pessoas. Mas o fato é que desde muito tempo a educação foi assumida pela Igreja como uma missão, quando Jesus enviou a seus apóstolos não apenas a fazer discípulos e batizar, mas também a ensinar tudo o que nos tinha ensinado (Mt. 28, 20). Ensinar é também um mandato do Senhor!

Historicamente, muitas congregações religiosas assumiram este chamado como missão e muitos são os santos que têm belíssimos registros de uma experiência de levar, por meio do ensino, as pessoas à experiência com o Senhor.

O assunto pode gerar dúvidas: colégios católicos confessionais devem abrir suas portas a pessoas não-católicas ou sem religião? O Papa Francisco, na Exortação Apostólica Evangelii Gaudium responde com exatidão: “As escolas católicas, que sempre procuram conjugar a tarefa educacional com o anúncio explícito do Evangelho, constituem uma contribuição muito válida para a evangelização da cultura” (EG, 134).

Os colégios católicos devem acolher a todos, mas jamais devem renunciar a sua missão evangelizadora. Por isso, quando uma família coloca seu filho num colégio católico, deve estar de acordo em que seja educado nessa fé e tanto o aluno como a família devem apoiar a missão da instituição.

Uma educação coerente com os valores cristãos

Acontece de colégios católicos assim se declararem, mas não assumirem no ordinário de suas atividades, nos valores que permeiam sua experiência pedagógica, a fidelidade aos ensinamentos de Cristo. Exemplos desses acabam por gerar inúmeros prejuízos para o que se entende como natureza e finalidade da educação, que é levar as pessoas – de modo consciente ou não – ao conhecimento de Deus.

Santa Teresa Benedita da Cruz [Edith Stein], filósofa, judia, passou um tempo da vida submersa nas trevas do ateísmo, teve sua experiência com a pessoa de Cristo por meio do estudo e da contemplação da verdade expressos nos ensinamentos de Santa Teresa de Jesus. Depois de batizada na Igreja Católica, passou anos dedicando-se aos estudos e publicando artigos científicos, além de dedicar – primariamente – a vida à oração intensa.  Ela dá uma clara explicação sobre o processo que move o coração de todo aquele que busca conhecimento e a iluminação por meio dos estudos: “Quem procura a verdade, consciente ou inconscientemente, procura a Deus”.

Uma escola que acolhe a todos

Numa perspectiva de corresponder ao evangelho e de seguir os passos de Jesus, a escola católica deve, sim, estar aberta a todos. Sobretudo se esta for segura e coerente com o que a Igreja ensina e lança todas as suas ações na perspectiva do relacionamento com os bens do céu e a salvação de Cristo.

Leia também: Colégios Católicos: como eles podem contribuir na educação dos seus filhos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here