Escola bilíngue vale a pena?

Colégios bilíngues são uma tendência relativamente nova no Brasil que vem conquistando espaço no ensino privado. Mas a escola bilíngue vale a pena? Se estamos falando em um planejamento educativo de formação integral, sim. Basta ir aos fatos: quando uma criança ou adolescente vive qualquer tipo de imersão, os resultados são superiores. Por exemplo, a imersão envolve experiência cultural de escuta, fala e escrita em outro país. Em resumo: a escola bilíngue vale a pena porque tem uma qualidade muito superior em relação a um curso de idioma que se frequenta uma ou duas vezes por semana.

O ensino bilíngue ainda não é regulamentado no Brasil, o que exige dos pais cautela na hora de escolher a escola. Além disso, algumas instituições vendem a proposta bilíngue, mas sem o caráter imersivo. Por exemplo, colocam apenas uma ou outra atividade como referência de segundo idioma.

Como será o aprendizado da criança em um colégio bilíngue

É importante lembrar que o cérebro da criança possui uma plasticidade não encontrada nos adultos. Isso significa que o que aprendemos – de modo adequado – na infância é registrado de uma forma mais eficaz e duradoura.  A escola bilíngue vale a pena porque é preciso considerar que a criança passa boa parte do dia naquele ambiente. Deste modo, terão mais facilidade de adquirir novos conhecimentos e a fluência em um segundo idioma.

Contudo, não se trata de uma proposta de duas horas por semana em contato com um idioma. Representa uma experiência diária, cultural e de formação integral. Se você está buscando uma escola bilíngue para o seu filho, observe se o plano pedagógico prevê essa experiência.

O que os especialistas dizem sobre colégios bilíngues?

As pesquisadoras Elizabete Flory e Maria Thereza C. de Souza publicaram um estudo chamado “Influências do Bilinguismo Precoce sobre o desenvolvimento Infantil: Vantagens, Desvantagens ou Diferenças?”. Ele foi publicado na Revista Intercâmbio e apontou as principais vantagens do bilinguismo praticado desde a infância.

Veja:

a) as crianças mostram vantagens consistentes em tarefas envolvendo habilidades verbais e não-verbais;
b) mostram habilidades metalinguísticas avançadas, especialmente manifestadas em seu controle sobre o processamento da língua;
c) as vantagens cognitivas e metalinguísticas aparecem em situações bilíngues que envolvem o uso sistemático das duas línguas (como a aquisição simultânea ou a educação bilíngue);
d) os efeitos positivos do Bilinguismo aparecem relativamente cedo no processo de tornar-se bilíngue e não requerem alto nível de proficiência, nem que se tenha alcançado o Bilinguismo Balanceado.

Multiculturalismo na escola bilíngue

Estudar um segundo idioma não significa, apenas, aprender a falar uma língua diferente. É  mais do que isso. Quando se fala, por exemplo, em uma proposta de formação integral, é inegável a inserção do aluno em diferentes culturas e experiências sociais ricas.

Há relatos interessantes de famílias que viajam, passam temporadas no exterior e o fato de as crianças já estarem em uma experiência de escola bilíngue colabora. Em outras palavras, torna rica a mudança, reduzindo, inclusive, impactos negativos com as mudanças geográficas, sociais e culturais.
São inúmeros os benefícios de se estudar em uma escola bilíngue.  Mas é essencial que ela tenha uma proposta pedagógica séria e comprometida. Se, no passado, havia o receio da confusão na apreensão de conteúdo e aquisição de habilidades de linguagem, hoje as evidências científicas já atestam os benefícios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here